Review | Transformers: O Último Cavaleiro

Review | Transformers: O Último Cavaleiro

Acabo de sair do cinema e já vim direto escrever para ter acesso à memória bem fresca! Em Transformers: O Último Cavaleiro (originalmente Transformers: The Last Knight) continuamos acompanhando a história de Cade Yeager (Mark Wahlberg irmão do Matt Damon – Os Suspeitos e O Dia do Atentado ), um inventor/mecânico que, após os acontecimentos de Transformers: Era da Extinção,  dedica a sua vida a proteger os Autobots que encontra perdidos e/ou danificados por aí. O planeta Terra está sendo invadido diariamente por mais e mais Transformers, bons e maus, o que acaba gerando caos e destruição.
Como medida de proteção, o governo criou a divisão especial TRF para lidar com a ameaça robótica e declarou que todos os Transformers são “inimigos”. No meio disso tudo, Cade se torna um fugitivo procurado por trabalhar auxiliando os Autobots.

Em uma de suas buscas, Cade se depara com Izabella (Isabela Moner – Lendas do Templo Perdido), uma adolescente órfã que vive nas ruas e tem alguns amigos robôs. Ela acaba de perder um deles, morto pela TRF, enquanto tentava ajudá-la a escapar de uma área interditada pelo governo, que haviam acabado de invadir.
Nesse mesmo local, Cade encontra um robô ancião entre as ferragens de uma nave alienígena. Esse robô, já à beira da morte, entrega para ele um medalhão e cita algumas frases desconexas.

Transformers: O Último Cavaleiro
Pois bem, logo após esses acontecimentos, descobrimos que o tal medalhão é um artefato muito antigo, datado da primeira aparição Transformer na Terra, na época do Rei Arthur. Seguindo a mesma linha, também descobrimos a existência de um cajado, que foi entregue a Merlin por um Autobot para ajudar Arthur a vencer a guerra. Os dois artefatos combinados, se possuídos pelas “pessoas” erradas, poderiam causar a destruição do planeta. Sim, o mesmo papo de extinção da raça humana que já estamos mais que habituados a ouvir.

Avançando na história, acompanhamos Optimus Prime chegando em seu planeta natal Cybertron, pronto para encontrar seus criadores e destruí-los para que as invasões à Terra terminassem. Lá ele conhece Quintessa, a deusa responsável pela criação dos Cybertronianos. Ela consegue ~enfeitiçar~ Optimus e convencê-lo a ajudá-la a reconstruir Cybertron. Para isso, a energia de outro planeta deveria ser sugada. Obviamente o planeta em questão é a Terra, mas aqui na história se identifica como Unicron. Para alcançarem tal feito, Quintessa ordena que Optimus encontre o medalhão que os guiaria até o cajado. Sim, aquele cajado entregue à Merlin lá na antiguidade.

Transformers: O Último Cavaleiro
E é aí que toda a ação se desenrola. Temos a participação de Anthony Hopkins  (Hannibal e Thor: O Mundo Sombrio) na pele de Sir Edmund Burton, último representante da Ordem dos Witwiccans. Os membros desse grupo foram responsáveis por preservar a história dos Transformers desde sua primeira aparição. É ele quem liga os pontos e consegue desvendar os mistérios para ajudar Yeager à salvar o planeta.

Também não poderia deixar de fora a Vivian Wembley (Laura Haddock – Guardiões da Galáxia), descendente direta de Merlin e único ser humano capaz de “ativar” e controlar o cajado. Além dela, ainda contamos com novos robôs (Cogman de fato lembra o C3PO ) e alguns outros já conhecidos do público, como Bumblebee e Megatron.

Bom, a conclusão da história acredito que vocês já consigam imaginar. Muitas explosões, lutas, tiros e frases de efeito até que a Terra seja salva mais uma vez. É um bom filme de ação, cheio de maravilhosos efeitos visuais. Só o enredo que não surpreende, continua sendo mais do mesmo.

Nota: nota_1nota_1nota_1nota_2nota_2