Jogue: Danganronpa – Trigger Happy Havoc

Jogue: Danganronpa – Trigger Happy Havoc

Olá pessoal! Tudo bem por aí? Aproveitaram demais esse mega feriadão que teve e o final de semana? 🙂 Então é dia de review de game!!! E o jogo escolhido por mim, dessa vez, é Danganronpa: Trigger Happy Havoc.

Danganronpa é um jogo que mistura aventura e visual novel. É totalmente interativa e muito bacana! O jogo foi lançado originalmente para PSP, mas fez tanto sucesso que foram lançadas versões do jogo para Android, IOS e PC e o jogo também ganhou versões de anime e mangá. Legal, né? Depois (ou antes, o que você preferir!), você pode assistir ao anime do jogo ou ler o mangá!

No jogo, você assume a personalidade de Makoto Naegi, um aluno normal de colegial que foi convidado para ingressar em uma escola muito prestigiada, chamada Hope’s Peak Academy, que é muito famosa por só aceitar “celebridades Ultimates”, e Makoto foi convidado por ter sido considerado o “Ultimate Lucky” do ano, visto que uma vez por ano a escola faz um sorteio entre os alunos normais e seleciona um deles por ser muito sortudo por ter ganhado o sorteio. Os ultimates que ingressão na escola com Makoto são vários, como por exemplo, um escritor de fanfics, um jogador de baseball, uma nadadora, entre outros. Makoto se sente ansioso e chega mais cedo no colégio no dia que seria o seu primeiro dia de aula, mas por alguma razão, ao entrar na escola, se sente tonto e acorda horas depois numa sala de aula, ele vai ao encontro do resto dos estudantes e tudo parecia normal até então.

Danganronpa

O que deveria ser o primeiro dia de aula dos estudantes revela-se pior: um urso chamado Monokuma apresenta-se a eles e revela que eles estão trancados na escola até o dia da formatura deles, o que, para o urso, o evento da formatura seria um aluno sair de lá com vida, enquanto o resto não. De acordo com Monokuma, para sair dali, os estudantes precisariam cometer um crime e assassinar algum dos seus colegas, mas além disso, também deveriam sair impune do crime, depois do que ele chama de Class Trial acontecer, que seria um “julgamento” para descobrir ou não quem cometeu o assassinato.

O jogo é muito bem feito e prende você na história, mesmo que nos primeiros casos você já saiba mais ou menos quem é o culpado, mas você ainda quer ter a sensação de participar de um julgamento e contradizer ou não todas as pessoas que vão falando sobre o crime. O jogo consegue transparecer muito dilemas morais que são bem sérios como quem estaria disposto a matar alguém em troca de liberdade e outras coisas que o Monokuma oferece.

É um jogo consideravelmente fácil e rápido de jogar, ele se divide em seis capítulos e cada um leva em torno de 2 a 3 horas pra terminar. Nos capítulos, existe quase um sequência de acontecimentos que você precisará seguir, mas nada muito sistemático. No meio deles, você terá um momento chamado “Free Time”, que é quando você tem liberdade total para conversar com outros personagens e lhes dar presentes, sabendo assim um pouco mais da história de cada um deles e também da história geral do jogo, de acordo com o que o personagem em questão sabe. O cenário também é bem legal e você pode explora-lo com muita facilidade.

Gostei muito da minha experiência jogando Danganronpa e eu certamente jogarei o segundo! 😉 É um jogo que eu fortemente recomendo!