Com rescisão de contratos do Facebook, streamers voltam à Twitch.

No começo do ano de 2020, o Facebook encerrou e alterou diversos contratos de streamers brasileiros que atuam na plataforma Facebook Gaming, criada para competir no crescente mercado de streaming, já habitado pela Amazon, Youtube e Microsoft.

O motivo, seria a cobrança por aumento de audiência, que não estava sendo atingida pelos contratados. Mas essa notícia pegou diversos profissionais de surpresa, já que alguns dos que estiveram dentro do corte, tinham assinado recentemente um contrato de supostamente 1 ano na plataforma.

O START, da UOL, conversou com 8 streamers que foram afetados, e a história de todos era bem similar:

  • A justificativa foi a baixa audiência das transmissões
  • Seus contratos davam garantia de um rendimento fixo por pelo menos 12 meses
  • Alguns que não tiveram os contratos encerrados inicialmente receberam a proposta de reduzir, pela metade, sua remuneração

O grande problema, é que os contratos não estipulavam um valor mínimo de audiência que deveria ser mantido, abordavam apenas, a quantidade de horas de transmissão que deveriam ser realizadas mensalmente.

A maioria dos streamers em questão retornou às origens na Twitch TV, mas agora passam pela difícil transição de audiência, já conhecida durante as mudanças de plataformas, o que acaba resultando em algumas perdas de curto prazo em seus números.

 

 

Fonte: https://www.uol.com.br/start/