Review | The End of the F***ing World

the end of the ****ing world

Começo dizendo que The End of the F***ing World não tem absolutamente nada a ver com o estilo de série que costuma me agradar; mas como acredito que a gente deve sempre procurar conhecer coisas novas e se reinventar, resolvi dar uma chance.

A história tem dois personagens principais: James (um adolescente bem problemático que acredita ser psicopata) e Alyssa (fazendo as vezes de adolescente rebelde que odeia todo mundo). Ambos estudam no mesmo colégio e acabam se conhecendo durante o intervalo das aulas.

O ponto forte da história é que os dois são bem “malucos” e não se sentem pertencentes ao ambiente em que vivem. James perdeu a mãe muito cedo e vive apenas com seu pai. Tem alguns interesses peculiares como taxidermia e acredita ser psicopata por não sentir nada nunca. É como se estivesse vazio e apenas existindo, não de fato vivendo.

Alyssa mora com a mãe e o padrasto. O pai abandonou a família quando ela era ainda bem pequena e desde então nunca mais o viu. O padrasto é bem babaca e a mãe bastante submissa, apenas cedendo quando ele humilha a menina. O resultado? Ela cresceu sendo babaca, mal educada e rebelde.

O estilo da série me lembrou  Fargo em alguns pontos, principalmente nos momentos em que cenas violentas acontecem e de fundo toca aquela música ~baladinha anos 70/80~; e apesar de eu não gostar muito de Fargo, The End of the F***ing World me envolveu bastante. Os dramas dos adolescentes, que são bem pesados mas apresentados de forma leve (não espere uma trama com mimimi de colegiais, aquela coisa bem infanto-juvenil – não é), com algumas pitadas de humor negro/irônico/sarcástico somados à essa trilha sonora maravilhosa, me arrebataram completamente. Sem contar que a série é bem curtinha, são 8 episódios com cerca de 22 minutos cada um! Uma maravilha para quem tá afim de engatar numa história rápida, mas bem densa e muito bem construída.

Na minha opinião, o Netflix super acertou nessa produção original. Se você já assistiu, me conta aqui nos comentários o que achou!

Nota: nota_1nota_1nota_1nota_1nota_1

Paula Pinter
Nerd, 27 anos, paulistana, conhecida também como Minorith nos joguinhos online, social media da ESL Brasil, streamer ~de vez em quando~, "a tia louca por gatos", formada em Administração, apaixonada por marketing digital, fã de coisinhas cute, música, tecnologia e de um bom livro.