Pelo fim do assédio no mundo dos games: My Game My Name, uma iniciativa da ONG Wonder Woman

mygamemyname

Não é de se espantar quando uma mulher diz que sofreu assédio em algum jogo. É decepcionante pra comunidade de qualquer jogo – ou mesmo qualquer lugar – saber e presenciar cenas de assédio, como as que ocorrem todos os dias em todos os tipos de jogos dos quais as mulheres escolhem para se divertir. Um divertimento que acaba sendo vedado por todas as palavras, frases e muitas outras coisas doloridas que ouvem/leem dos colegas jogadores enquanto estão jogando. Não é legal ter que esconder sua identidade atrás de um nickname masculino pra que você possa jogar em paz. Também não é legal ser atacada e chama de todos os mais horríveis nomes possíveis caso você encare usar o seu nickname feminino. Esse assédio todo contra as mulheres em jogos DEVE parar, deve ser monitorado e deve-se sim, fazer algo para mudar.

assedio-gamers-iloveimg-resized

#MyNameMyGame é uma iniciativa da ONG americana Wonder Woman Tech, que conta com o apoio de streamers, youtubers e pessoas públicas – tanto homens quanto mulheres – e grandes pessoas do cenário para que o assédio às mulheres dentro dos jogos se extinga. É importante uma iniciativa como essa, que tem como objetivo, segundo seu instagram,  pressionar a indústria de jogos para que medidas mais efetivas contra todo esse tipo de assédio à mulheres dentro dos jogos seja tomada.

A ONG lançou um desafio para grandes streamers e youtubers se passarem por meninas nos games e gravarem suas experiências. Você pode conferir vários dos vídeos feitos por grandes streamers como Fe Batista, Patriota, entre outros.

Você também pode conferir o vídeo que a ONG fez pra lançar a campanha #MyGameMyName, abaixo:

Vamos todos nos unir nessa causa! É muito importante fazer da comunidade – de qualquer jogo – um lugar em que todas as pessoas que o jogam se divirtam e possam aproveitar ao máximo sem ser assediada, xingada ou até mesmo ameaçada. Nós do Nerd e Diva apoiamos a #MyGameMyName! Apoie você também!  

 

 

Júlia, 23 anos, acredita que todo mundo deveria jogar Zero Escape um dia, ama livros, é fã de Harry Potter desde que se entende por gente, cosplayer por hobby e quase biomédica por profissão, adora animes e é entusiasta de E-Sports.