Review | Girlboss

girlboss-trailer

Com a onda de novas séries chegando à Netflix, fica até difícil escolher qual será a próxima para assistir né?

Recentemente me peguei olhei o catálogo e me deparei com “Girlboss“. O título me chamou atenção e eu já tinha ouvido falar um pouco dela. Resolvi dar uma chance.

A série é baseada no livro de mesmo nome e conta a história real de Sophie Amoruso, uma garota na casa dos 20 e poucos anos que não tem um bom relacionamento com seu pai e mora sozinha num apartamento bem humilde. Ela odeia trabalhar, ter responsabilidades.. mas como precisa sobreviver, não tem muita escolha.

Sophie é petulante, arrogante, extremamente mal educada, folgada e bastante irritante. Sim, eu realmente não consegui engolir a personagem hahaha. Mas dei uma chance para a série pelo que vou mencionar a seguir: pelo fato de ela constantemente ser demitida e não conseguir se dar bem em nenhum emprego comum, procura uma maneira de conseguir ganhar dinheiro por si só, fazendo algo de que gosta. A fórmula que ela encontra eu diria que tem muito a ver com sorte ou timing, mas não dá pra tirar o mérito de que ela leva jeito para a coisa.

Girlboss

Ela é apaixonada por moda. Em uma de suas idas ao brechó encontra uma peça de roupa bastante rara e paga uma verdadeira pechincha. Chegando em casa, ela veste a peça (uma jaqueta de couro colorida dos anos 70, se não me engano) tira algumas fotos e a anuncia no eBay, na modalidade leilão. Voilà, a jaqueta pela qual ela pagou míseros 9 dólares foi vendida por 150 dólares ou algo assim. Foi aí que Sophie enxergou uma oportunidade. A grana que ela conseguiu vendendo a jaqueta usou para adquirir novas peças e vendê-las da mesma maneira e assim ir desenvolvendo o seu negócio.

O foco da série é o crescimento profissional de Sophie e de sua marca de roupas (Nasty Gal), mas suas relações com diversas pessoas também é abordada ao longo da história. Apesar da personagem ser um péssimo ser humano e te tirar do sério desde o primeiro episódio, diria que vale a pena assistir. Principalmente se você, assim como eu, gosta de empreendedorismo, inovação etc. Então, #ficadica. 

Nota: nota_1nota_1nota_1nota_2nota_2

Paula Pinter
26 anos, paulistana, conhecida também como Minorith nos joguinhos online, social media da ESL Brasil, streamer ~de vez em quando~, "a tia louca por gatos", formada em Administração, apaixonada por marketing digital, fã de coisinhas cute, música, tecnologia e de um bom livro. Momentaneamente loira.